EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA:: América Latina no sistema mundial

.

Quinta, 19 de Janeiro de 2017, 13:53 h

            

6 de maio a 22 de julho de 2017

 

 

DURAÇÃO: 12 semanas

CARGA HORÁRIA: 180 horas

CRÉDITOS: 12

 

PRAZO DE INSCRIÇÃO: 23 de janeiro a 20 de abril

 

 

 

 

AULAS PRESENCIAIS

Maio: 6, 13, 20, 27
Junho: 3, 10, 17, 24
Julho: 1, 8, 15, 22

HORÁRIO
9h às 13h: aulas teóricas
14h às 16h: oficinas
           
LOCAL

Sede do Senge-RJ
Av. Rio Branco, 277 17° (Auditório)

 

INVESTIMENTO


R$ 1.600,00 para não sócios
R$ 800,00 para sócios, representantes sindicais do SENGE-RJ, sócios-aspirantes do SENGE-RJ e estudantes.
Descontos especiais para empresas e entidades.

Consultar capacitacao@sengerj2.org.br ou 3505-0700.

Pagamento em até 10x no cartão de crédito ou à vista por meio de boleto bancário.

 

 

 


APRESENTAÇÃO

A Cátedra e Rede UNESCO sobre Economia Global e Desenvolvimento Sustentável -REGGEN e o Instituto Multidisciplinar de Formação Humana com Tecnologias da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - IFHT/UERJ em associação com o Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro - SENGE-RJ oferecem o curso América Latina no Sistema mundial: Integração Regional e Estratégias de Desenvolvimento.
Os processos de globalização se desenvolvem produzindo cenários mundiais de riscos e oportunidades que afetam fortemente os Estados nacionais. O século XXI se inicia com profundas transformações econômicas, políticas, sociais e ideológicas em sua primeira década e meia.
Entre os principais acontecimentos que marcaram essa dinâmica pode-se mencionar a crise da economia mundial com dimensões de depressão e epicentro nos Estados Unidos e na Europa; o desgaste político e ideológico do neoliberalismo e o fortalecimento do capitalismo de Estado; o deslocamento do dinamismo da economia mundial e do comércio internacional para o continente asiático; a emergência da China como um importante ator no sistema mundial; o fortalecimento dos BRICS e o esboço de uma nova geopolítica internacional marcada por uma nova dinâmica das relações Sul-Sul; a ascensão e a crise de governos progressistas na América Latina, que apresentam novas possibilidades para a integração regional e novas tensões nos planos locais, nacionais e regionais.
Num momento histórico em que o Brasil e a América Latina têm uma participação crescente no cenário internacional, é necessário aprofundar uma reflexão abrangente e sistemática sobre as novas reconfigurações geopolíticas do sistema mundial, sobre a dinâmica da economia global e regional e os desafios de projetos de integração e as estratégias de desenvolvimento. Compreender as grandes questões de economia política global e os interesses estratégicos em jogo é um objetivo fundamental para a academia e os profissionais nas diversas áreas. Por esta razão, consideramos extremamente oportuno oferecer um curso de aperfeiçoamento sobre esta temática.

OBJETIVO
Atualizar e aprofundar os conhecimentos sobre as mudanças cada vez mais rápidas e intensas do sistema mundial contemporâneo e seu impacto na América Latina, particularmente no Brasil, oferecendo instrumentos de análise adequados para enfrentar os desafios da pesquisa científica, da gestão e do exercício profissional.

PÚBLICO-ALVO
Dirigido a profissionais e estudantes de engenharia e áreas afins, economia, ciências humanas e sociais, gestores públicos e privados.

PRÉ-REQUISITO
Possuir nível superior completo ou em curso.

CARGA HORÁRIA
O curso terá um total de 180 horas divididas em seis módulos temáticos de 30 horas, da seguinte forma:
72 horas: aulas presenciais e oficinas
108 horas: atividades acadêmicas não presenciais

CRITÉRIOS DE AFERIÇÃO
Será exigida a participação em pelo menos 75% das aulas presenciais;
Avaliação por disciplina a ser definida pelo professor (ex. resenha, interação no ambiente virtual ou participação no debate presencial);
Entrega de um trabalho final de caráter autoral que aprofunde um dos temas desenvolvidos ao longo do curso (recomenda-se seguir as normas da ABNT).

A nota final será dada pela média das notas dos trabalhos quinzenais (70%) e a nota do trabalho final (30%).

 

 

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES

Vagas limitadas.

A realização do curso está sujeita à quantidade mínima de matrículas.

Para estudantes de graduação, este curso pode valer como Atividade Curricular Complementare (ACC).

Bolsas de Estudos e descontos: uma vez que as atividades oferecidas pelo Senge-RJ são autofinanciadas, não é possível conceder bolsas de estudo ou descontos, a não ser os já oferecidos para sócios do sindicato e estudantes.

 


PROGRAMA ACADÊMICO E PROFESSORES


1. OS BRICS, A DIN MICA DAS RELAÇÕES SUL-SUL E A NOVA ORDEM MUNDIAL

Os BRICS e a nova dinâmica das relações Sul-Sul e Norte-Sul no contexto de um sistema multipolar; o espírito da Conferência de Bandung (1955) e a emergência de uma nova ordem mundial; as estratégias hegemônicas e contra-hegemônicas; as ameaças, oportunidades e desafios dos processos de integração regional; o papel da China e da Ásia na nova economia e sistema mundial.

Professores:
Theotonio dos Santos (Pesquisador visitante sênior da UERJ e Presidente da Cátedra e Rede UNESCO sobre Economia Global e Desenvolvimento Sustentável - REGGEN)
Wladimir Pomar (Jornalista e escritor)

2. INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA E NOVOS ALINHAMENTOS GLOBAIS

Estudo dos fundamentos históricos e políticos da integração latino-americana e caribenha desde a luta pela independência, com ênfase especial nas tentativas de integração comercial surgidas após a segunda Guerra Mundial em oposição ao panamericanismo inspirado na doutrina Monroe.
A partir do século XXI se desenha um conjunto de projetos e acordos de integração regional como a ALBA, a UNASUL, o CELAC, que anunciam uma nova fase do desenvolvimento regional. Será analisado o vasto campo de disputa em torno destes processos na região e no plano mundial.

Professores:
Samuel Pinheiro Guimarães Neto (Embaixador e ex-Alto Representante Geral do Mercosul)
Ingrid Sarti (Professora da UFRJ e Ex-Presidente do Foro Universitário do Mercosul-FOMERCO)


3. CICLOS TECNOLÓGICOS, ECONÔMICOS E POLÍTICOS EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

A revolução científico-tecnológica possibilitou a produção em escala global, conectando-a à ciência pura e à pesquisa de ponta. Permitiu a diversificação dos mercados em termos de qualidade e das condições locais de demanda e oferta. Desta maneira, se articula a acumulação de capital, sob o comando dos Estados nacionais que assumem a gestão do desenvolvimento econômico, social e político. Os fatores tecnológicos e a pesquisa científica têm um papel central no sistema mundial, impondo uma nova divisão internacional do trabalho.
Nesse contexto será abordado o estudo da ciência e da tecnologia em relação às novas maneiras de organizar a produção e seu impacto na sociedade produzindo um complexo processo de interação cultural, econômica e social no cenário de uma nova geopolítica mundial. Será analisado o impacto das novas áreas de conhecimento, como inteligência artificial, a biotecnologia, as novas tecnologias de comunicação e informação, e as novas fontes de energia, etc.

Professores:
José Eduardo Cassiolato (Professor do Instituto de Economia da UFRJ e Diretor do Centro de Altos Estudos Brasil Século XXI) 
Alberto Santoro (Professor aposentado do Instituto de Física da UERJ e membro do Centro Europeu de Pesquisa Nuclear-CERN)


4. GEOPOLÍTICA DOS RECURSOS NATURAIS, SOBERANIA E ESTRATÉGIAS DE DESENVOLVIMENTO NA AMÉRICA LATINA

Análise da dimensão geopolítica dos processos de integração regional, particularmente na América Latina, no contexto dos principais interesses econômicos e políticos conflitantes e convergentes no sistema mundial e das estratégias articuladas a estes interesses. Será dada atenção especial à análise da disputa pelos territórios e pelos recursos naturais e o impacto destes processos nas populações locais, nos movimentos sociais, nos governos e soberanias nacionais e nas políticas públicas e estratégias de desenvolvimento nacionais e regionais.

Professores:
Monica Bruckmann (Professora da UFRJ e diretora de pesquisa da Cátedra e Rede UNESCO sobre Economia Global e Desenvolvimento Sustentável - REGGEN)
Igor Fuser (Professor da Universidade Federal do ABC -UFABC)


5. TEORIA DEMOCRÁTICA DAS ORGANIZAÇÕES E PROCESSOS DE GESTÃO

Com o avanço dos processos produtivos, os interesses dos grandes grupos econômicos passando a depender cada vez mais de instituições públicas e privadas associadas e regulamentadas pelos sistemas políticos nacionais e internacional, a ciência da administração se vê diante de uma crescente pressão social por participação destas instituições nos centros de decisão econômica e política. O próprio processo educacional se vê sob a pressão dessas mudanças que se refletem num grande debate mundial no qual participam diretamente os centros de poder público, as articulações de interesses privados e a opinião pública em geral. Será analisado o impacto deste processo nas empresas e nos órgãos de gestão nos vários níveis da administração pública e privada. Será enfatizado o avanço da ideia de democracia que se amplia em busca da gestão cidadã das políticas públicas.

Professores:
Zacarias Gama (Professor do Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas e Formação Humana PPFH/UERJ)
Cláudio Roberto Marques Gurgel (Professor e Subcoordenador do Programa de Pós-graduação em Administração – PPGAd/UFF)


6. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, AS METAS DO MILÊNIO E A GOVERNANÇA GLOBAL

A partir da Carta de Direitos Econômicos dos Povos, votada em 1974 pela Assembleia Geral das Nações Unidas se incorpora o conceito de direito dos povos ao direito internacional. O encontro mundial sobre o meio ambiente, Eco Rio 1992, inicia um novo conceito de gestão mundial através da presença dos chefes de Estado de todos os países e dos representantes de organizações não governamentais e dos movimentos sociais. As reuniões mundiais seguintes deram origem, no final do século XX, à Declaração das Metas de Desenvolvimento do Milênio que se constituíram como compromisso de Estado e das forças sociais participantes para garantir um desenvolvimento sustentável e humano. Em 2016 se realizou um balanço do cumprimento das metas anteriores e a definição das novas Metas do Milênio. Neste contexto, será analisada a eficácia dessa proposta diante da nova correlação de forças internacionais.

Professores:
Theotonio dos Santos (Pesquisador visitante sênior da UERJ e Presidente da Cátedra e Rede UNESCO sobre Economia Global e Desenvolvimento Sustentável - REGGEN)
Gaudêncio Frigotto (Professor do Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas e Formação Humana PPFH/UERJ) 

 

 

 

 

Voltar